‌Como‌ ‌recuperar‌ ‌o‌ ‌dinheiro‌ ‌do‌ ‌consórcio?

Recuperar o dinheiro do consórcio é o principal objetivo de quem pede o seu cancelamento independente da razão que o tenha o levado a desistir. A partir de agora você vai entender se é possível e como pode funcionar esse pagamento.


Sobre o Consórcio

O consórcio é um dos meios para se conseguir um serviço ou bem material como imóvel ou veículo automobilístico de maneira planejada e por isso pode levar um determinado tempo para adquiri-los. Mas a espera pode ser compensada pelo fato dessa modalidade não conter taxas de juros, bem diferente do financiamento tradicional que mesmo entregando o bem rapidamente a cobrança de taxas chega a ser abusiva muitas das vezes.

 

No consórcio as pessoas se agrupam em uma certa quantidade e determinam valores para serem pagos todos os meses, os mesmo são chamados de consorciados ou cotistas.

 

A frente desse grupo, toda empresa deixará um administrador, responsável por organizar os dias da reunião e o seu horário. Ele também é o responsável pelos valores arrecadados, a cada mês uma assembléia é feita para saber que poderá comprar o bem.

 

Aquele que tem direito ao crédito é chamado de contemplado. Essa prática de contemplação pode ocorrer de duas maneiras. Através de sorteios, onde todos os participantes do grupo vão ter a mesma porcentagem de chance ou através dos lances onde a pessoa que quer receber a liberação do crédito de maneira mais rápida entrega um grande adiantamento das parcelas.

Tem como desistir de um consórcio?

Mesmo que o consórcio seja um meio muito bom e organizado para que o consumidor adquira o bem que deseja, muitas razões  podem levá-lo a pedir uma desistência e estão relacionadas principalmente com questões financeiras. Mas será que é realmente possível solicitar o cancelamento de um consórcio mesmo após ter assinado o contrato e entrado com parcelas? Sim, isso pode acontecer!

 

Desde o início dele até ao longo do seu envolvimento essa é uma opção que o cliente pode ter, por mais que nas cláusulas contratuais exista a proibição do consórcio, está é uma ideia que não existe.

É possível pedir de volta o dinheiro que investiu no consórcio?

Qualquer pessoa que desistir de continuar em um consórcio tem direito a pedir e recuperar o dinheiro do consórcio, ela consegue isso pois está protegida pela lei de número 8.078 de 11 de setembro de 1990 feita pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). Sendo assim, mesmo que cláusulas contratuais de empresa que você passou a ser consorciado disser o contrário, não valerá de nada.

É possível receber todo o valor que investiu no consórcio?

Ao cancelar suas relações com um consórcio você pode sim recuperar o dinheiro do consórcio, porém você deve ter ciência de que esses valores não são totais. Como bem sabemos, essa modalidade não vai cobrar aos participantes nenhum juros, mas outras taxas são embutidas nas parcelas, as conhecidas taxas de administração. Sendo assim o consumidor terá de volta não toda, mas apenas uma parte das parcelas.

 

Além disso, ao pedir o cancelamento os demais cotistas são informados na assembleia por sua desistência, isso porque um valor de mensalidade a menos passará a existir, o que pode atrasar no contemplamento dos demais cotistas.

Quais serão os descontos sofridos em consequência do cancelamento de um consórcio?

Como já citamos aqui recuperar o dinheiro do consórcio é possível mas não por completo. Além da taxa de administração a  tarifa de emplacamento também é descontada caso ela exista no grupo de consórcio no qual você participa. Dizer um determinado valor não é possível, isso porque as taxas administrativas podem variar de acordo com cada mês, ou seja, ela não possui um quantidade fixa.

Caso alguém cancele o consórcio, é possível receber o que investiu de maneira rápida?

Para recuperar o dinheiro do consórcio, ele não acontece de forma imediata. A algum tempo opiniões eram divididas a respeito de fazer o consumidor desistente esperar que todos os participantes fossem contemplados para depois entregar o dinheiro e os valores serem destinados de maneira rápida ao ex contista sem que ele necessitasse esperar por muito tempo.

 

Porém o que ficou decidido por lei é que o antes consorciado espere o tempo de 30 dias,ou seja, 1 mês após o encerramento de seu antigo grupo.

Conclusão

Conforme tudo o que foi apresentado aqui, você aprendeu que:

  • Um cotista pode desistir do consórcio que faz parte

  • Um consórcio não pode impedir que a pessoa receba de volta às prestações que pagou após ter desistido

  • Os valores não são pagos por completo

  • As quantias não são recebidas de imediato, tendo que esperar um mês após o encerramento de seu antigo grupo.

Sendo assim, fique de olho nos seus direitos e veja se desistir de um consórcio realmente é a sua única opção ou se outros meios podem ser encontrados para que não faça o cancelamento dele.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *